Elementos para discussão da escravidão contemporânea como prática de gestão

Elements for discussion of modern slave labor as a management practice
Elementos para la discusión de la esclavitud contemporánea como práctica de gestión
Citar

APA

Mascarenhas, A. O., Dias, S. L. F. G., Baptista, R. M. (2015). Elementos para discussão da escravidão contemporânea como prática de gestão. RAE-Revista de Administração de Empresas, 55(2), 175-187. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-759020150207

ABNT

MASCARENHAS, A. O.; DIAS, S. L. F. G.; BAPTISTA, R. M. Elementos para discussão da escravidão contemporânea como prática de gestão. RAE-Revista de Administração de Empresas, v. 55, n. 2, março-abril, p.175-187, 2015. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-759020150207

André Ofenhejm Mascarenhas - Zetesis - Outros artigos deste autor
Sylmara Lopes Francelino Gonçalves Dias - USP/EACH - Outros artigos deste autor
Rodrigo Martins Baptista - Universidade Anhembi Morumbi - Outros artigos deste autor

O trabalho escravo contemporâneo está inserido nas relações de mercado entre organizações globais e seus fornecedores, e envolve práticas de gestão de pessoas que ferem os direitos humanos, como o cerceamento da liberdade, as condições degradantes de trabalho e a jornada exaustiva. O artigo analisa o trabalho escravo no Brasil e provê sustentação empírica para uma teoria da escravidão contemporânea como prática de gestão. Dois aspectos principais justificam esta contribuição. Em primeiro lugar, o debate chama a atenção à dinâmica da responsabilidade social e ao impacto das atividades empresariais nos países emergentes. Em segundo, põe-se em evidência a discussão do contexto da pobreza e suas inter-relações com o sistema de produção-consumo. O artigo sugere que o campo da Administração não detém a compreensão dos fundamentos da pobreza e de como práticas de gestão estariam implicadas na sua reprodução e no seu alívio. A agenda de pesquisa enfatiza a insustentabilidade de aspectos da globalização da produção e do consumo, e prioriza o problema.

Contemporary slavery is embedded in market relations between global organizations and their suppliers, and involves people management practices that injure human rights such as curtailing freedom, degrading conditions of work and exhausting journey. The article analyzes the slave labor in Brazil and provides empirical support for a theory of contemporary slavery as a practice management. Two main aspects justify this contribution. First, the debate draws attention to the dynamics of social responsibility and the social impact of business activities in emerging countries. Secondly, it puts in evidence the discussion of poverty and its interrelations with the global system of production and consumption. The paper suggests that the field does not have the understanding of the fundamentals of poverty and how management is implicated in its reproduction and relief. The research agenda
emphasizes the unsustainability aspects of the globalized production and consumption, and prioritizes the problem.

El trabajo esclavo contemporáneo está inserido en las relaciones de mercado entre organizaciones globales y sus proveedores, y envuelve prácticas de gestión de personas que hieren los derechos humanos, como el cercenamiento de la libertad, las condiciones degradantes de trabajo y la jornada exhaustiva. El artículo analiza el trabajo esclavo en Brasil y provee sustentación empírica para una teoría de la esclavitud contemporánea como práctica de gestión. Dos aspectos principales justifican esa contribución. En primer lugar, el debate llama la atención a la dinámica de la responsabilidad social y al impacto de las actividades empresariales en los países emergentes. En segundo, se pone en evidencia la discusión del contexto de la pobreza y sus interrelaciones con el sistema de producciónconsumo. El artículo sugiere que el campo de la Administración no detiene la comprensión de los fundamentos de la pobreza y de cómo las prácticas de gestión estarían implicadas en su reproducción y en su alivio. La agenda de pesquisa enfatiza la insostenibilidad de aspectos de la globalización de la producción del consumo, y prioriza el problema.

Trabalho escravo, Brasil, escravidão contemporânea, relações de trabalho, sustentabilidade.
Slave labor, Brazil, contemporary slavery, labor relations, sustainability.
Trabajo esclavo, Brasil, esclavitud contemporánea, relaciones laborales, sostenibilidad.
Num. Páginas: 
175-187

Envie seu comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede