Empreendedorismo Institucional na Emergência do Campo de Políticas Públicas em Hiv/aids no Brasil

Citar

APA

Campos, L. C., Alves, M. A., Mendonça, P. M. E. de. (2010). Empreendedorismo Institucional na Emergência do Campo de Políticas Públicas em Hiv/aids no Brasil. RAE - eletrônica, 9(1).

ABNT

CAMPOS, L. C.; ALVES, M. A.; MENDONçA, P. M. E. de. Empreendedorismo Institucional na Emergência do Campo de Políticas Públicas em Hiv/aids no Brasil. RAE - eletrônica, v. 9, n. 1, janeiro-junho, 2010.

Luiz Claudio Campos - Outros artigos deste autor
Mario Aquino Alves - FGV/EAESP - Outros artigos deste autor
Patricia Maria Emerenciano de Mendonça - USP-EACH - Outros artigos deste autor

Este trabalho analisa o surgimento do HIV/aids no contexto das políticas públicas no Brasil observando os atores envolvidos, suas posições e os recursos utilizados para a criação de novas lógicas institucionais. A política brasileira de HIV/aids resultou de esforços pioneiros de um amplo espectro de diferentes grupos e movimentos sociais que buscam aprofundar princípios do SUS de prevenção e universalização, tendo logrado êxito e sendo reconhecida como uma referência no cenário internacional. Ao examinar as relações de poder que se desenrolam no interior do campo, é possível constatar que a posição ocupada pelos atores interfere nas suas formas de ação empreendedora. A principal conclusão está em apontar as possibilidades de ação empreendedora dos atores periféricos em um campo, e a necessidade de melhor qualificação da ação social empreendedora, que inclui detalhar as estratégias utilizadas pelos atores, diferenciando-as a partir das posições que ocupam e dos diferentes estágios do processo de mudança.

This paper analyzes the emergence of HIV/aids field in the context of public policies in Brazil, mapping actors involved, their positions and resources used to create new institutional logics. The Brazilian HIV/aids policy was the result of pioneering efforts of a broad spectrum of different groups and social movements, seeking to deepen SUS principles of prevention and universalism, which achieved considerable success and recognition from international bodies. While examining power relations that take place within the field, it is possible to consider the influence of the position occupied by the actors in their forms of entrepreneurial action. The main conclusion is to point out the possibilities for entrepreneurial action of peripheral players and the need for a better qualification of entrepreneurial social action, which includes detailing the strategies used by actors, differentiating according to the positions occupied and along the different stages of institutional change.

Campos sociais, empreendedorismo institucional, políticas públicas, HIV/aids, movimentos sociais.
Social fields, institutional entrepreneurship, public policy, HIV/aids, social movements.

Envie seu comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede