GV-executivo, vol. 19, n. 6, novembro-dezembro 2020

Editorial: 

Ruptura, mudanças e alguma esperança pós-Covid-19

 

Ao terminarmos este fatídico ano de 2020, sabemos que os negócios sofreram rupturas e precisam enfrentar desafios para sua continuidade nos próximos anos. O varejo foi especialmente afetado. O setor, que já estava em transformação com o impacto das novas tecnologias, teve de acelerar, e muito, esse processo. Os artigos do Caderno Especial desta edição tratam dessas mudanças e oferecem perspectivas para o futuro. Maurício Morgado apresenta as tendências do varejo para os próximos três anos, com previsão de maior competividade e novidades tecnológicas. Caio Faber de Castro, Lucas Sciencia do Prado e Verônica Angélica Freitas de Paula abordam as competências necessárias para as equipes de vendas, em um cenário de digitalização do varejo. Alexandre Coelho Ferreira e Gilberto Sarfati apontam quatro cenários para os shopping centers para o futuro. Leandro Angotti Guissoni discute os caminhos para o crescimento dos negócios digitais. Leandro Ulisses de Moraes e Benjamin Rosenthal exploram o potencial de criar espaços de marcas dentro de redes de lojas (shop-in-shop) como uma alternativa para reduzir custos, expor melhor os produtos e expandir as vendas. Finalmente, Luiza Helena Venturini Brittes e Carlos Eduardo Lourenço mostram como o marketing de experiência, que engloba eventos, testes de produtos e interações presenciais, migrou para o ambiente virtual com a Covid-19.

A pandemia descortinou outras questões que, apesar de não serem novas, ganharam urgência, como a de inovar em busca da sustentabilidade não só financeira, mas do planeta, e a de enfrentar a complexidade de dimensões éticas e legais do momento. As organizações são parte da discussão da revisão dos modos de viver que desenvolvemos até hoje. Não podemos cair na tentação de jogar fora o bebê com a água do banho; democracia, ética e educação são lições aprendidas que não há como perdermos. Os demais artigos desta edição nos ajudam a pensar nesses temas. Antonio Carlos Teixeira Alvares defende o modelo de inovação a partir de todos os colaboradores; Francisco Aranha ressalta a necessidade de o ensino superior mudar após a Covid-19; e Luciana Betiol e Paulo Marzionna trazem a discussão dos comportamentos inadequados de colaboradores nas redes sociais, assunto que abrange os limites entre a vida privada e a profissional, que ficaram ainda mais embaralhados com a maciça adoção do home office neste ano.

Ainda nesta edição, nas tradicionais colunas, Gabriela Lotta trata dos ensinamentos da pandemia para a saúde pública do Brasil; Luiz Ernesto Migliora Neto chama a atenção para os dilemas do Brasil no comércio exterior; Marina Gama e Jeferson Lana discutem a crescente pressão dos investidores por questões da sustentabilidade no Brasil; e Paulo Sandroni elenca as perspectivas para a política econômica diante de um número recorde de desempregados.

A entrevista que abre a edição traz a experiência alvissareira de dois empreendedores. Na entrevista à GV-executivo, Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte, ex-alunos da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP), falam sobre a trajetória da Netshow.me e de como tiveram de lidar, em tão pouco tempo, com os desafios do alto e repentino crescimento da empresa, que atua na área de eventos e conteúdos digitais.  

Que 2021 traga saúde e esperança para todos, e boas festas, em casa.

Maria José Tonelli – Editora chefe

Adriana Wilner – Editora adjunta

 

 

 

 

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede