GV-executivo, vol. 19, n. 3, maio-junho 2020

Editorial: 

Novos olhares para o agora e o amanhã

Vivemos, incrédulos, essa pandemia que nos coloca fora de uma suposta inalterabilidade do nosso cotidiano.  Somos desafiados a olhar de outra forma para nossas casas, nosso trabalho, nosso entorno, nossos ecossistemas, nosso governo, nossas empresas, nossa sociedade e a refletir sobre nós mesmos e nosso mundo. 

É um momento em que a gestão sobressalta. Dependemos de como nos organizamos para combater a doença e suas consequências. Esta edição especial da GV-executivo trata de como gerenciar a crise e de como se preparar para o que virá depois, em suas várias facetas, no sistema de saúde, na economia, no combate ao desemprego e à desigualdade social, nas relações internacionais, na área pública, no meio ambiente, nos recursos humanos, em como trabalhar, na maneira de liderar, nas finanças, nas cadeias de suprimentos, no marketing, no varejo, nas ações de solidariedade.

Abrimos a revista com duas cartas: a do presidente da Fundação Getulio Vargas, professor Carlos Ivan Simonsen Leal, e a do diretor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP), professor Luiz Arthur Ledur Brito, que mostram como nossa instituição, que reúne escolas, centros de pesquisa e educação corporativa, rapidamente se ajustou a esses novos tempos.

Na sequência, o artigo do professor Carlos Ivan Simonsen Leal mostra os dilemas que vivem os gestores públicos para tomarem decisões inéditas e de alto impacto para a sociedade, sem terem à disposição todas as informações de que precisam.

No total, este número conta com 11 artigos e seis colunas, uma quantidade ligeiramente maior do que costumamos publicar na GV-executivo. A edição especial não esgota todas as dimensões que essa pandemia provoca, mas aborda diversos aspectos essenciais aos gestores, empreendedores e administradores, como decisões financeiras na crise, alterações nas cadeias globais de suprimentos, novos papéis para os recursos humanos, medidas para achatar a curva da inadimplência, o protagonismo das marcas solidárias, a importância das capacidades comportamentais e da confiança entre gestores e liderados, o varejo na crise e sua reinvenção com os marketplaces, além do necessário cuidado com o meio ambiente, que mostra, tragicamente, sua altivez. Apresenta, ainda, caminhos para a gestão da área da saúde e discute como governos, organizações e mídias podem ter falhado ao não se atentar para os sinais enviados pelos países que sofreram com a pandemia antes do Brasil.

As colunas, por sua vez, também contribuem para o debate ao tratar de aspectos como a importância da credibilidade, coragem e compaixão das lideranças nesse momento; dos riscos de uma crise econômica prolongada e da necessidade de recuperação econômica, já que economia e sociedade andam juntas; da relevância da solidariedade empresarial e das megadoações; e dos riscos e desafios das relações internacionais no contexto presente.

Diante da pandemia, esta Edição Especial procura oferecer, criticamente, novos olhares para o desenvolvimento das organizações, em consonância com o objetivo da Fundação Getulio Vargas, de contribuir, com pesquisa e conhecimento, para o desenvolvimento do país.

Boa leitura e cuidem-se.

Maria José Tonelli – Editora chefe

Adriana Wilner – Editora adjunta

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede