RAE-Revista de Administração de Empresas, vol. 46, Edição Especial, nov-dez 2006

Editorial: 

Russel Jacoby, da Universidade da Califórnia e autor de Social Amnesia: a critique of Conformism Psychology e The Last Intellectuals, dentre outras obras, afirma em um de seus escritos The End of Utopia que "em uma era de resignação e cansaço políticos, o espírito utópico continua sendo mais necessário do que nunca" (p. 235). Com efeito, o sentido de suas reflexões evoca até certo ponto uma saudável e necessária resistência às pressões cotidianas que dificultam a vida das pessoas, bem distante do ideal de felicidade e solidariedade humanas preconizadas por Jacoby.

Mas se de um lado há esta constante e muitas vezes inglória luta por um ideal utópico, de outro é possível vislumbrar ações que, se estão sujeitas às intempéries e percalços inevitáveis, demonstram a possibilidade e a necessidade de manter esta chama acesa. E o esforço empreendido pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas e pela Universidade Federal de Minas Gerais, por meio de seu Departamento de Ciências Administrativas (CAD) e Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração (Cepead), é uma prova bem acabada deste ideal utópico, evidenciada na RAE - Edição Especial Minas Gerais 2006, que chega agora às suas mãos e consolida três anos de trabalho árduo, pautado na excelência e rigor acadêmicos.

Em um país gigantesco e multiforme como o nosso, é motivo de orgulho apresentar uma publicação científica que evidencia o vigor, a pulsação e o entusiasmo de uma comunidade científica fundeada em Minas Gerais, mas que se abre ao mundo e reforça a importância de uma estreita articulação aos desígnios e desejos de uma Administração consistente e vigorosa. Tendo sua primeira edição em 2004 capitaneada pelo professor Thomaz Wood Jr., este número que chega às suas mãos destaca o papel da RAE na disseminação do conhecimento, seja pela via eletrônica ou pela via impressa.

A RAE - Edição Especial Minas Gerais 2006 - obra coletiva e diversa - é a demonstração de que é possível manter a utopia acesa. E a leitura dos artigos aqui publicados ressalta isso.

MINAS SÃO MUITAS

Os artigos aqui presentes passaram pelo processo de double blind review usual da RAE, após uma seleção que contou com dezenas de submissões em sua fase inicial. Demonstrando novamente a diversidade da produção científica e sua distribuição regional, enfatiza-se o preceito de que Minas são muitas.

Ana Paula Paes de Paula e Marco Aurélio Rodrigues abrem o número com um artigo que discute os desafios e possibilidades do uso da pedagogia crítica no ensino da Administração.

Júnia Marçal Rodrigues, por sua vez, discute a articulação entre práticas de remuneração e a noção de competências mediante a análise de um modelo organizacional em uma empresa do setor siderúrgico do Estado de Minas Gerais.

Carla Guapo Costa traz uma contribuição internacional em que discute os fatores determinantes para a escolha do Brasil como destino preferencial de investimento de empresas portuguesas, tentando aferir até que ponto a proximidade cultural existente entre os dois países teria desempenhado um papel relevante na tomada de decisão.

Neusa Maria Belo e Haroldo Guimarães Brasil discutem a assimetria informacional, no mercado de capitais brasileiro, quando de convocações para Assembléia Geral Ordinária (AGO) ou para reuniões do Conselho de Administração.

Gustavo Amorim Antunes e Gilvan Ramalho Guedes investigam a correlação entre o grau de alavancagem e o beta de todas as empresas não financeiras que compuseram o índice Ibovespa entre dezembro de 1994 e dezembro de 2004.

Gustavo de Souza Grôppo analisa a relação causal entre um conjunto de variáveis de política monetária e o mercado acionário brasileiro representado pelo Ibovespa.

Luiz Honório e Suzana Braga Rodrigues apresentam uma discussão na qual procuram identificar os fatores motivacionais e estratégicos presentes nas decisões internacionais.

Por fim, Geraldo Alemandro Leite Filho e Gilberto de Andrade Martins objetivam diagnosticar, caracterizar e compreender aspectos da relação entre orientador-orientando e suas influências no processo de produção de teses e dissertações.

Em texto na seção "Pensata", Cláudia Cristina Bitencourt, professora do Rio Grande do Sul e pesquisadora associada do Núcleo interdisciplinar sobre gestão em organizações não empresariais (Nig.one) da UFMG, e Débora Azevedo tratam do futuro da aprendizagem organizacional, pontuando as possibilidades e desafios presentes neste debate.

Completam esta edição duas resenhas versando sobre obras publicadas no campo da Administração pública e Contabilidade e finanças.

CONVITE

Reforçamos novamente o convite para que todos enviem seus trabalhos para a RAE. Ainda, esperamos que iniciativas como essa sejam disseminadas por este país, sempre alinhadas à missão da RAE de fomentar a difusão da produção científica em Administração no Brasil.

Desejamos a todos uma boa leitura!

Allan Claudius Queiroz Barbosa
Carlos Osmar Bertero
Editores da RAE - Edição Especial Minas Gerais 2006

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede