RAE-Revista de Administração de Empresas, vol. 43, n. 1, jan-mar 2003

Editorial: 

Abrimos este editorial falando da "publicação-irmã" da RAE. No início de 2002, colocamos "no ar" a RAE-eletrônica, a primeira revista on-line da FGV-EAESP. Vários eram os motivos para o projeto. Primeiro, a capacidade de veiculação na RAE (impressa) é limitada - cerca de 40 artigos por ano -, enquanto nosso nível de submissão sobe dia-a-dia, aproximando-se de 200 artigos por ano. Segundo, cresce em todo o mundo o número de revistas científicas veiculadas na Internet, representando uma tendência importante no campo científico. Terceiro, as vantagens do meio eletrônico são patentes: a maior velocidade na veiculação, que reduz o risco de obsolescência, e a não existência de limites de espaço.

De início, houve certa resistência de alguns autores: o veículo era novo, apesar de usar a tradicional marca RAE, e não parecia dar aos artigos o mesmo reconhecimento da revista impressa. Procuramos então partilhar com nossos colaboradores as difíceis escolhas editoriais que ocorrem na definição da pauta de uma revista como a RAE, e os benefícios da veiculação on-line. Observamos que todos os artigos veiculados passam pelo mesmo processo de aperfeiçoamento (baseado no double blind review). Além disso, fizemos notar que, com a RAE-eletrônica, passou a ser possível veicular artigos de alta qualidade, porém de interesse muito específico e trabalhos que poderiam ser penalizados pelo longo ciclo de publicação.

O "desempenho" dessa nova publicação pôde ser comprovado quando inauguramos nosso novo portal, no início de novembro de 2002. Logo no primeiro mês, sem qualquer divulgação, nossa home page teve quase 12.000 visitas. Na RAE-eletrônica, foram cerca de 130 visitas/dia. Os artigos mais acessados tiveram uma média de 20 visitas/dia. Os números nos levam a pensar em futuros desenvolvimentos para este veículo.

ALIMENTO PARA A MENTE E PARA A ALMA

A última edição da RAE foi marcada pela grande presença de artigos de autores estrangeiros. Acreditamos que é papel da revista trazer o que há de novo no meio acadêmico em administração. Neste número, temos novos artigos do exterior, mas também fazemos um contraponto, desviando nosso foco para a comunidade acadêmica brasileira. Para isso, publicamos um fórum e uma seção documento: o primeiro contém trabalhos selecionados do 2º ENEO (Encontro Nacional de Estudos Organizacionais); o segundo contém trabalhos sobre o "estado das coisas" em alguns campos de estudo. O primeiro é representativo de nossa produção, em uma de suas áreas. O segundo apresenta uma reflexão sobre esta mesma produção.

O Fórum 2º ENEO-RAE traz três artigos: no primeiro trabalho, Alexandre Faria advoga uma abordagem processual e etnográfica na compreensão de redes organizacionais internacionais. Ao final do trabalho, o autor apresenta uma proposta para o diálogo entre os estudos de gestão e a antropologia. No segundo trabalho, Alketa Peci interage com autores como Anthony Giddens e Pierre Bordieu. Seu foco é relação objetividade-subjetividade no campo de estudos organizacionais. No terceiro trabalho, J. Ricardo C. de Mendonça e Jackeline Amantino-de-Andrade tratam do tema do gerenciamento de impressões. Procuram mostrar como as organizações usam ferramentas de comunicação de forma a controlar as percepções que determinados públicos têm delas.

No campo da teoria das organizações, Gérard Ouimet discute os jogos de poder nas empresas. Seu foco é inovador: a preocupação não é com líderes ou atores fortes, mas com grupos fracos de poder. O trabalho propõe uma tipologia dos jogos de poder explorados por esses grupos. Em seguida, Pedro Lincoln C. L. de Mattos traz Karl R. Popper ao campo de Estudos Organizacionais. A "visita" do ilustre filósofo ajuda a discutir a oposição da lógica acadêmica e da lógica do mercado: em discussão a consistência da literatura popular de gestão, tão próxima da literatura de auto-ajuda.

RAE-Documento traz quatro artigos sobre o estado das coisas em quatro campos de pesquisa: Gerência de Operações, Marketing, Finanças e Recursos Humanos. Os autores - Rebecca Arkader; Francisco Giovanni David Vieira; Ricardo P. Câmara Leal, Jefferson de Oliveira e Aline Feldman Soluri; e Miguel P. Caldas, Maria José Tonelli, Beatriz Maria Braga Lacombe e Tatiana Tinoco - mostram o estado da arte em seus respectivos campos de estudo. Trazem uma contribuição inequívoca para o desenvolvimento dos estudos em administração em nosso país.

Complementam esta edição resenhas e indicações bibliográficas.

CONVITE

Desejamos que esta edição dedicada em grande parte a nossa própria comunidade científica sirva de incentivo para que nossos pesquisadores enviem seus trabalhos à RAE e à RAE-eletrônica.
Boa leitura!

Thomaz Wood Jr.
Diretor e editor

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede