Introdução

Luisa Veras de Sandes-Guimarães

Neste ano de 2015 os periódicos científicos completam 350 anos. O marco inicial da história de periódicos foi em 1665 com a criação do Journal des Sçavans e do Philosofical Transactions, criados na França e na Inglaterra, respectivamente. Os periódicos mantiveram-se desde então como um dos principais alicerces da comunicação científica. Mas por que os periódicos científicos são tão importantes? Na época de sua criação, os maiores problemas enfrentados em relação ao conhecimento científico / descobertas científicas eram: estabelecimento da prioridade das descobertas; organização e disseminação deste conhecimento.

A prioridade de descoberta do conhecimento é de extrema importância para todos os pesquisadores. A publicação é uma das maneiras, talvez a mais eficaz, que o pesquisador tem à sua disposição para provar que foi o primeiro a descobrir algo novo e, nesse sentido, provar que a descoberta é inédita. A título de curiosidade, um dos maiores embates científicos foi travado entre Newton e Leibniz em torno da questão da prioridade de descoberta do Cálculo. Resumidamente, Newton fez suas descobertas entre 1664 e 1666 mas só as publicou em 1693 enquanto Leibniz fez suas descobertas entre 1672 e 1676, depois de Newton, mas publicou-as em 1684 e 1686, antes de Newton.

A revisão por pares ou especialistas, a respeito de características de descobertas científicas, já existia informalmente antes da criação dos periódicos. Esse procedimento foi incorporado pelos periódicos e tem uma função extremamente importante no processo de publicação de conhecimento científico, isto é, assegurar a qualidade e validade da publicação. Em pleno século XXI, esta função dos periódicos se tornou ainda mais importante devido à quantidade de artigos que é publicada por ano, que gira em torno de 2 milhões.

Esta breve introdução aos periódicos científicos pretende trazer ao leitor deste manual um pouco da história e da importância dos periódicos no processo de comunicação do conhecimento científico. Em se tratando de periódicos científicos, diversos temas nos vem à cabeça, tais como: impacto, acesso aberto, qualidade e avaliação, revisão por pares, redação científica, gestão de periódicos, indexação, periódicos falsos (fake journals) entre outros. Alguns destes temas serão tratados neste manual e outros ficarão por conta da curiosidade do leitor.

Boa leitura!

02/12/2016 - 13:32

                                                                                                                                                                 

Educação Executiva Presencial, Customizada e a Distância

                                                                                                                                                70 Anos FGV            FGV Notícias         FGV News