GV-executivo, vol. 6, n. 6, nov-dez 2007

Editorial: 

Poucas pessoas diriam hoje que uma empresa é gerenciada e conduzida por forças divinas. Acredita-se que a gestão seja racional em sua essência e movida pela busca de resultados, quase sempre financeiros. Mesmo assim, a espiritualidade está presente no cotidiano dos negócios, por exemplo na gestão de pessoas e na formulação de estratégias. Alguns acreditam, inclusive, que organizações que acolhem o pensamento religioso e a espiritualidade são mais bem-sucedidas. Este número da GV-executivo é dedicado a esse fenômeno.

Podemos realmente dizer que uma organização permeada por valores espirituais é mais propensa a vencer no mercado competitivo? Seriam seus funcionários mais motivados a trabalhar, mais comprometidos com as metas e a visão da organização? Ou poderíamos tratar essa redescoberta da religião e da espiritualidade apenas como nova fonte de negócios? Executivos-líderes podem, em alguns momentos, ser confundidos com sacerdotes do capitalismo? Os textos do último número da GV-executivo em 2007 debatem as causas e conseqüências da onda espiritual nas organizações.

 

Esta edição é a primeira que conduzo como editor da RAE-Publicações. Inicio minha nova atividade contemplando o passado e o futuro da revista. Este patrimônio, cuja gestão agora me é confiada, foi construído pelo esforço coordenado da equipe da RAE e de dois editores que me precederam, Thomaz Wood Jr. e Carlos Osmar Bertero. Como toda publicação viva e dinâmica, ela permanece um projeto em construção, com desafios e oportunidades, que pretendemos explorar no próximo ano.

 

Boa leitura a todos e até lá!

Francisco Aranha
Diretor e Editor

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede