GV-executivo, vol. 1, n. 2, nov-jan 2002

Editorial: 

"Os brasileiros não gostam de ler. Se obrigados, preferem margens largas e textos leves. Havendo versão em quadrinhos, melhor ainda.
Quando não têm preguiça, são simplesmente impacientes. Acham a leitura lenta e aborrecida. Estão sempre atrás de utilidade prática ou pura diversão. Se não encontram, desistem."
A ironia do trecho bem poderia ser machadiana. Mas será o argumento válido em nosso campo? Muitos editores de livros e revistas de negócios parecem apostar que sim.
Assim é que os textos vão se reduzindo e dando lugar a imagens, fotos e quadros. Junto vai o prazer da leitura analítica, substituído pela busca obsessiva da informação de utilidade imediata. Em paralelo, a cada dia nossas bancas ganham novas revistas e nossas livrarias ganham novos livros. Quantidade há, mas qualidade ...
O projeto editorial da RAE-executivo segue no sentido inverso desta onda. Da RAE, sua matriz de mais de 40 anos de publicação, nossa nova revista manteve a circulação trimestral: um ciclo longo, porém suficiente para garantir que os textos sejam convenientemente trabalhados. Além disso, buscamos colaboradores preocupados com a densidade do texto, e capazes de alicerçar sua proposta em referências sólidas, de mapear o campo para o leitor e de trazer uma contribuição relevante para a prática administrativa.
Neste trajeto, não temos limites ou inimigos. O produto final depende somente de nossa vontade e de nossa capacidade de aglutinar os talentos da impressionante comunidade formada pela FGV-EAESP, com pesquisadores, consultores, professores, alunos, ex-alunos, executivos e parceiros institucionais.

Colocamo-nos então 5 grandes desafios:

1.Rigor: queremos trazer aos leitores textos fundados nas melhores teorias e práticas administrativas, sem a
"pseudociência" dos gurus e dos textos populares de gestão.
2.Relevância: queremos proporcionar leituras que contribuam para a reflexão sobre os problemas que estão na agenda dos executivos.
3.Inovação: queremos trazer temas da linha de frente do pensamento sobre gestão, um campo dinâmico que exige um olhar sempre atualizado.
4.Visão crítica: queremos estimular uma perspectiva crítica da realidade corporativa. Acreditamos que
somente tal perspectiva potencializará a transformação da realidade.
5.Leitura agradável: queremos proporcionar leitura agradável, facilitada por uma linguagem acessível e por um projeto gráfico inteligente.

Então, boa leitura!

Thomaz Wood Jr.
Diretor.

 

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede